Almas conjuntas, por Gabriela Sena.

Almas Conjuntas.

Cruel, pensamento carnal
Carnaval fora de época
Divago; de repente surreal
Diagonal, meu corpo comprime
Álcool viajando nas veias
Bêbada, porém, apenas de juras
Mãos na cintura explana a mensagem
Tamanha tensão, mão na nuca
Vazia sensação de vantagem
Ménage à trois
Nós e os cigarros
Sem corda eu me amarro
Não duvido e tu brota na boca
Não divulgo, nada de boba
Não divido, bota com força
Submisso n’um instante
Boca de veludo
Toques merecidos
Nada de sexo
Ela é feminina nossa transa
Curvas eminentes
Gradativamente
O corpo se lança
Não é notícia, nem conto
É mais íntima: crônica
Doença, não esqueça
Toda malícia, com certeza
Amanheça
Reassume teu posto
Por baixo, apanho
Unhas nas costas
Almas conjuntas.

Designed by Freepik