Brincadeira mortal, por Taís Fontenele

 

Bons tempos da amarelinha, dominó e dado

Existe ainda diversão saudável e com alegria

Atualmente tem brincadeira com fim trágico

Com mil desafios chegando até a asfixia

 

Todo mundo gosta de brincadeira

Menino, menina, moça e rapaz

Hoje em dia tem outras maneiras

Brincar ficou perigoso demais

 

No mundo afora e aqui o perigo já se instalou

Eu li na internet notícia de uma brincadeira mortal

Criança e até jovem se influenciou e nos deixou

Proteja a si e aos amigos, brinque sem perigo acidental

 

Todas as pessoas têm suas tristezas

O filho do pobre e também o filho do doutor

Quando o astral está pra baixo e faltam certezas

Não brinque de se cortar, causar marcas e dor.

Taís Fontenelle Carneiro, Parnaibana, Psicóloga, blogueira, autora do livro Papo Terapêutico para crianças. Especialista em Neuropsicologia e mestranda em Saúde da Criança e do Adolescente. Atuante nas áreas de psicologia clínica e políticas públicas.