Sonhador, por Claucio Ciarlini

 

Olhe!
Há um mundo inteiro a nos consumir…
De tal maneira, que escapa, até mesmo,
Daquela tua mania besta de querer definir ou ditar: as formas e as coisas.
Atente!
Para um universo muito além do que a tua tola percepção poderia deduzir…
Entregue!
A tua desumana prepotência,
O teu desprezível gosto,
(Banal, material, vil-metal)
Não há mais tempo!
Entregue logo o teu despeito,
Pois as estrelas estão aí
A cortar o vento,
Iluminando um trilhão de sombras histéricas
Despedaçando a ira e o rancor
Não seja estúpido!
Em querer ser maior que elas, as estrelas
Cegariam-te na primeira tentativa que fosse,
De tentar vê-las (ou ao menos imaginá-las)
Então é melhor que esqueça o que eu disse antes!
Apenas fique bem quieto
Feche os olhos
Desligue-se por completo
Se deixe levar…
Deixe que os sonhos te conduzam até onde as respostas residem,
Um lugar onde todas as lembranças adormecidas se revelam,
Tão vivas quanto o presente (ou até mais)
E daí você vai perceber.

Claucio Ciarlini (2013)

 

Claucio Ciarlini é escritor, editor, professor, historiador, jornalista cultural e cineasta amador.

 

Designed by Freepik